Convivendo com a miopia

Quem já foi diagnosticado com miopia por um oftalmologista deve ter recebido a recomendação de manter consultas periódicas para avaliar a evolução ou involução de seu grau de miopia.

Anualmente, é recomendado consultar-se com o oftalmologista e fazer os exames de rotina, que geralmente são realizados no próprio consultório de maneira rápida e totalmente indolor, quando não há a presença de outra patologia que cause incômodo.

Os incômodos causados pela miopia ocorrem, basicamente, na falta do uso dos aparelhos de correção, como os óculos ou as lentes de contato. Sem eles, fica difícil enxergar de longe, o que prejudica atividades como assistir à TV, assistir a filmes no cinema, dirigir, enxergar placas de rua, pessoas e veículos à distância e muitas outras.

Quem acha incômodo permanecer deitado de óculos no sofá ou na cama, para assistir à TV, por exemplo, pode usar almofadas mais anatômicas que não “amassam” as hastes dos óculos contra as têmporas, como as almofadas em formato de rolinho.

Já as lentes de contato pedem uma manutenção mais delicada, e quando elas incomodam nos olhos pode ser sinal de que algo não está bem: a lente pode ter sido colocada ao contrário (o lado que deveria ser convexo foi aplicado como o côncavo), trocada (a lente de um olho foi colocada no outro, quando há diferença de graus entre eles) ou a qualidade da lente pode estar comprometida. Em qualquer desses casos, é preciso retirar as lentes e suspender seu uso.

Realizando as consultas periódicas, o oftalmologista vai acompanhando a evolução do grau de miopia e solicitando alteração de suas lentes (tanto dos óculos quanto das lentes de contato) para que você enxergue com mais conforto e precisão. Se, em determinado momento, o grau chega a certo ponto que lhe incomode muito, você pode consultar seu médico para verificar se a cirurgia de correção da miopia é indicada para você.